Vitor Mattoso: liderança criativa é essencial para profissionais do futuro

Vitor Mattoso é especialista em liderança criativa. Ele acredita que a busca pelo aprimoramento pessoal é a chave para a realização profissional.

Vitor foi um dos palestrantes no Mind Conecta, evento que aconteceu na Fábrica de Startups, no Rio de Janeiro, com apoio do site Eu Sou Empreendedor.

Aberto ao público, o encontro promoveu a discussão sobre o futuro do Trabalho e a Educação do futuro.

Na ocasião, Vitor apresentou os sete chakras profissionais, uma metodologia de treinamento e desenvolvimento baseada em conhecimentos milenares e alinhada com as competências profissionais que o futuro exige.

Chefe X Líder

É muito comum uma comparação, nem sempre boa, entre chefe e líder. Mas, Vitor não concorda com essa comparação.

“O líder é uma função de comportamento e o chefe é uma função administrativa. Pode, sim, existir o chefe ruim, o indiferente e o chefe bom. Mas líder só pode ser líder.”

Ele explica que não dá para falar em “líder inexperiente”. Neste caso, ele é um chefe que ainda precisa de treinamento.

“Eu costumo usar a comparação do processador de alimentos e os alimentos: são duas coisas totalmente diferentes, uma produção totalmente diferente, mas que quando as pessoas sabem usar junto, o resultado fica muito melhor.”

Para Vitor, o chefe que é bom e consegue usar o poder de ser um líder de excelência faz com que sua equipe chegue onde quiser.

O líder tem de saber manter a calma quando todos os outros já perderam o controle. Essa é a principal função do líder. Porque se na hora que o problema vem, ele entra em desespero, não é líder. É chefe, e um chefe ruim.

Liderança criativa

Que a liderança é importante para os empreendedores de hoje, independentemente do cargo ou posição que ocupem, é uma unanimidade.

Mas, Vitor traz um novo conteito ligado a esse assunto: a liderança criativa.

“A principal característica do líder criativo é fazer com que os outros membros da equipe reconheçam a própria criatividade. Todos nós somos criativos.”

Ele explica que, muitas vezes, falta a coragem de expor aquela ideia, porque você julga previamente que ela não é boa.

“Só que nessa hora, a sua opinião sobre sua ideia não vale absolutamente nada. Você tem de ter coragem de exteriorizar sua ideia, e deixe que a equipe receba sua ideia e trabalhe nela. Às vezes, a ideia que não fazia sentido nenhum vai ser a solução para o problema.”

Criatividade, aliás, é uma das habilidades listadas pelo Fórum Econômico Mundial como necessárias aos profissionais do futuro.

Vitor destaca também, nesta lista, a liderança, que é fundamental, e o pensamento crítico, essencial para o processo criativo.

“Você só vai criar a partir do momento que você está insatisfeito com alguma coisa. Daí vem a importância do pensamento crítico.”

Além disso, ele destaca, ainda, a aprendizagem ativa, que é você efetivamente correr atrás dos conhecimentos necessários.

“E eu colocaria também a inteligência emocional, que é você conseguir bem compartilhar tudo aquilo que você sabe e tudo aquilo que você é.”

Equilíbrio homem/máquina

No evento, a relação entre homem e máquina hoje e no futuro foi pauta de todas as palestras. Do ponto de vista da carreira, para Vitor, o caminho mais certo é o do conhecimento.

“[O profissional] Vai precisar entender a máquina, talvez não por completo, mas ter uma base de como as máquinas com que ele interage funcionam, como os sistemas funcionam, para tirar o melhor proveito. Enquanto não acontecer esse processo, ele vai ter medo, porque não domina.”

Segundo Vitor, os profissionais que vão de destacar no mercado cada vez mais tecnológico serão aqueles que dominam a tecnologia. Isso será possível através da aprendizagem criativa (qual é a melhor forma de utilizar isso) e da criatividade (como eu posso usar essa ferramenta para meu benefício).

“Uma vez que ele quebre essa barreira, tudo vai ocorrer com mais tranquilidade.”

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *