Telemedicina: como funciona e quais os benefícios

Uma nova medida do Conselho Federal de Medicina (CFM) tem provocado discussões na área da saúde. A resolução 2.227/2018 define a Telemedicina como forma de prestação de serviços médicos mediados por tecnologias.

Com isso, a partir de maio, estão autorizadas consultas, diagnósticos e até mesmo cirurgias a distância, por meio de sistemas e equipamentos tecnológicos.

A posição do CFM divide opiniões. Por um lado, defensores da medida alegam que ela dará mais acesso à Medicina, principalmente a especialistas, que não chegam a cidades menores, por exemplo.

Já os opositores à resolução temem a quebra da relação pessoal entre médicos e pacientes. Por isso, a resolução do CFM gerou protestos dentro da comunidade médica e despertou a desconfiança de pacientes.

Para esclarecer como funciona a Telemedicina na prática e como a tecnologia pode ajudar médicos e pacientes, convidamos o médico Ericson Costa. Confira no vídeo abaixo!

O que é Telemedicina?

O termo Telemedicina tem origem na palavra grega “tele”, que significa distância.

Assim, a Telemedicina abrange toda prática médica realizada a distância, independentemente do instrumento utilizado.

Na prática, é como se fosse uma consulta via Skype. Mas no Brasil, a resolução exige um software próprio para isso.

“Parece até que as consultas devem ser gravadas. Já nos Estados Unidos, eles têm uma regulamentação que não permite que as consultas sejam gravadas. Então, de fato, eles usam mesmo Skype, Zoom, Google Hangout e outras ferramentas do dia a dia”, explica Ericson.

Ele conta que o primeiro relato que ouviu sobre a Telemedicina foi com médicos psiquiatras e presos.

“Você imagina o custo que seria levar médicos psiquiatras do seu consultório para dentro do sistema prisional. Essas prisões são longe, você vai ter de deslocar alguns guardas, além do que pode acontecer ali dentro.”

Segundo Ericson, essa experiência foi feita há uns dez anos e deu muito certo.

Benefícios para o paciente

“Primeiramente, é ter acesso”, defende o médico. Para ele, todo o foco da Medicina deveria ser no paciente.

Um dos principais benefícios da Telemedicina é a possibilidade de diminuir distâncias. Para os pacientes, essa tecnologia permite o acesso à medicina de qualidade e a profissionais referência.

“Imagine um paciente que mora em uma cidade distante, dá entrada em um hospital distante, não tem um psiquiatra, um neurologista, um nefrologista. Ele teria esse acesso.”

Ericson é mestrando nos Estados Unidos, em um curso de Gestão de Saúde com foco em Tecnologia Médica. E acabou de voltar de um evento sobre o mesmo tema naquele país.

telemedicina ericson estados unidos

Ele destaca que lá, os planos de saúde já estão usando a Telemedicina.

“O paciente que está passando mal, antes de sair de casa, abre o aplicativo e faz a consulta prévia. E o médico vai indicar para onde ele vai.”

Ele conta que em alguns planos de saúde nos Estados Unidos, se você topar que a primeira consulta seja sempre online, é possível pagar mais barato pelo plano.

Benefícios para o médico

Do ponto de vista do médico, será possível ter acesso a especialistas para discutir casos, dar suporte e diagnosticar de forma mais precisa.

Por isso, a tendência é que a Telemedicina seja mais usada por médicos especialistas, cuja demanda é maior.

“Você poder fazer um diagnóstico tendo o suporte de um especialista, isso dá bastante segurança e confiança.”

Outra possibilidade é fazer parte de um sistema de Telemedicina e poder preencher horários da agenda com atendimento a distância.

“Se você tem capacidade de atender 20 pacientes por dia no seu consultório, faltaram cinco, então você tem condições de preencher esses horários com pessoas que estarão a distância. Para o médico, isso é útil.”

Para Ericson, a Telemedicina abre um leque imenso de oportunidades.

“Desde as pessoas de tecnologia que vão desenvolver os sistemas até o empreendedor que pode criar uma empresa com médicos afiliados e vender serviço para hospitais.”

Ele ressalta que, em vez de criticar, as pessoas deveriam pesquisar o que está acontecendo no mundo.

Principalmente no mercado americano, a Telemedicina já está sendo bastante utilizada, já está bem madura. Tem muitos estudos comprovando números sensacionais.”

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *