Como avaliar os custos fixos em pequenas empresas - Série Avaliando Custos (1/4)

Assista à primeira aula da série Avaliando Custos, com Natale Papa. Se preferir, você pode ouvir nosso podcast falando sobre este mesmo tema e fazer o download do material de apoio.

Escute o podcast sobre o tema:

Material de apoio :

Nas últimas aulas, Natale falou sobre os primeiros passos para abrir o seu negócio, usando sempre o exemplo da produção e venda de cupcakes.

As etapas foram:

Conheço meu mercado;

Estimei demanda;

Avaliei o que preciso para começar;

Prototipei.

E agora? É hora então de calcular os custos do seu negócio.

Conceitos básicos sobre custos

Primeiro, Natale traz alguns conceitos básicos, para nivelar o conhecimento de todos, antes de avançar nas aulas seguintes.

→ Gasto: sacrifício financeiro para aquisição de bem ou serviço, seja com pagamento no ato (desembolso à vista) ou futuro (dívida).

→ Custo: dispêndio do agente com objetivo de atingir seus objetivos de produção (atividade fim).

“Talvez se você não for um grande conhecedor de custo, não faça essa diferenciação. Mas ela é fundamental para você avançar.”

→ Despesa: dispêndio no processo de aquisição de receita, não se identificando com o processo de produção ou transformação.

→ Custo Econômico: Custo Contábil + Custo de Oportunidade.

→ Custo de Oportunidade: encargo relativo à renúncia de algo em detrimento de outra escolha.

Custos fixos e custos variáveis

Natale traz a diferença entre os dois termos, mas avisa: “Se você pensa de maneira superficial, custo fixo é o que não muda e custo variável é o que varia, mas não é tão simples assim”.

Custos fixos: gastos que independem da quantidade produzida do bem ou serviço.

→ Custos variáveis: gastos que variam diretamente conforme a quantidade produzida.

“Na verdade, está totalmente relacionado à quantidade de produção e como se mantém esse valor, conforme muda a quantidade.” O gráfico abaixo mostra:

Custo aula Natale

Onde:

Q = quantidade de produção

$ = custo (dinheiro)

Por exemplo: para produzir nenhum, 10 ou 1.000 cupcakes, o custo do aluguel da cozinha se mantém. Esse é um custo fixo, que não varia de acordo com a quantidade de produção. Já a farinha é um custo variável, pois se eu produzo mais cupcakes, precisarei de mais farinha.

Custos diretos e indiretos

Custos diretos: gastos diretamente ligados à produção de determinado bem ou serviço.

Custos indiretos: gastos indiretamente incorridos na produção, a serem rateados entres os bens ou serviços produzidos.

No exemplo anterior de custo variável, quando falamos da farinha, fica bem fácil relacionar. Mas existem outros custos que não são tão facilmente identificados com a produção. É o caso de uma cobertura que somente alguns cupcakes levam.

Outro exemplo é um profissional de marketing que trabalha para você divulgando seu produto nas redes sociais. Esse custo deve ser dividido entre todos os seus produtos. Isso é um custo indireto, pois não está diretamente relacionado com a produção, mas está relacionado a sua atividade fim.

Próximas aulas

Assista às próximas aulas da série Avaliando Custos, com Natale Papa.

Confira a programação:

13/06 – Você sabe a diferença entre os tipos de custos?

20/06 – Fazendo fichas técnicas para seus produtos ou serviços

27/06 – Aplicações gerais em planilha modelo de custos

Confira também um guia completo, com 60 vídeos gratuitos que vão turbinar seu negócio!

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *