Ponto de Equilíbrio Financeiro: o que é e como calcular

Se você leu o título desse artigo e não fez a mínima ideia do que se trata, fique atento. Você precisa conhecer esse índice percentual muito importante para seu negócio: o Ponto de Equilíbrio Financeiro.

A lógica é bem simples. O que todo empreendedor quer? Qual o grande desafio de quem resolver abrir o próprio negócio? Qual o resultado esperado de tanto trabalho e dedicação a uma nova empresa? Se você pensou lucro, está no caminho certo.

Superar os custos fixos mensais que toda empresa possui, para então começar a ter lucro, é com certeza o maior desafio dos empreendedores. E é calculando o ponto de equilíbrio financeiro que você poderá saber quanto precisa vender para não ter prejuízo.

Ponto de Equilíbrio Financeiro

O Ponto de Equilíbrio Financeiro é conhecido também pelo seu nome em inglês, Break Even Point (BEP). Há também outros tipos de controle importantes para sua empresa.  Mas nesse artigo, você vai entender melhor o que é Ponto de Equilíbrio Financeiro e como calcular esse índice percentual.

O que é Ponto de Equilíbrio Financeiro?

Ponto de equilíbrio é o momento em que receita e custos se compensam. Quando a receita total da empresa é exatamente igual à soma das despesas.

Mas, não se engane. Não pense que, se você teve R$5 mil de despesas, basta faturar R$5 mil para ficar no zero a zero. Existe uma fórmula para calcular esse ponto, e é o que veremos mais adiante.

O ponto de equilíbrio não é uma meta a ser alcançada. Mas, sim, uma referência. O objetivo maior é atingir o lucro. Ou seja, ultrapassar o ponto de equilíbrio.

Ao calcular esse indicador, você saberá qual deve ser o faturamento mínimo mensal da empresa, para cobrir gastos fixos e variáveis. Só depois de pagar esses custos é que a empresa começa a lucrar.

Como calcular o Ponto de Equilíbrio Financeiro

Há uma fórmula para encontrar o Ponto de Equilíbrio Financeiro. Consiste em uma equação, conforme abaixo. E o resultado dessa fórmula é que vai determinar o volume de vendas mínimo necessário para que a empresa comece a lucrar. Se o seu faturamento for inferior ao Ponto de Equilíbrio, isso é sinal de prejuízo.

No ponto de equilíbrio financeiro, são excluídos dos custos fixos a depreciação dos ativos e outras despesas não desembolsáveis. Isso acontece porque algumas empresas, em seus balanços anuais, incluem a depreciação como custo.

Veremos um exemplo, para que você entenda melhor. Se uma empresa tem um ativo que valia R$1 mil e agora vale R$100, esses R$900 perdidos entram na lista de custos ou despesas da empresa.

Mas no ponto de equilíbrio financeiro, essa diferença é ignorada. O que importa são apenas os gastos que representam um desembolso de dinheiro do caixa.

4 passos para calcular o Ponto de Equilíbrio Financeiro

impostos do meiBasicamente, para aplicar a fórmula do PEF, você vai realizar três passos. Fique atento a cada ação, pois a precisão do resultado depende muito da veracidade das informações.

1º Passo) Levantar os gastos fixos mensais

Faça o levantamento do seu faturamento médio. Esse é o passo mais simples do cálculo. É só levantar quanto de dinheiro entra na empresa por mês. Caso você já tenha um bom fluxo de caixa, já é meio caminho andado.

2º Passo) Calcular a margem de contribuição

A margem de contribuição é a receita menos os custos variáveis. Aqui, é importante lembrar que esses custos devem ser levantados em forma de percentual e não em valores monetários.

Os custos Variáveis são os que estão diretamente ligados ao seu produto ou serviço. É só você pensar o custo que varia quando você vende mais ou menos. Assim, você poderá calcular percentualmente o quanto esse custo impacta no seu faturamento.

Em geral, os custos variáveis envolvem impostos e taxas, comissões, fornecedores e matéria-prima, entre outros. Isso vai depender do seu tipo de negócio.

3º Passo) Levantar os gastos fixos

Esse é o último passo antes de aplicar tudo na fórmula que vimos acima. É hora de levantar a média dos gastos fixos mensais da sua empresa.

Entende-se por gastos fixos aqueles gastos com as áreas financeira e administrativa, recursos humanos, equipamentos e manutenção. Além de investimentos fixos em marketing, por exemplo.

Lembre-se que alguns gastos fixos dependem de certos períodos. Como 13º salário, férias e IPTU.

4º Passo) Aplicar a fórmula

Depois de concluir os passos 1, 2 e 3, é só aplicar a fórmula do Ponto de Equilíbrio Financeiro. É importante que você saiba usar isso a favor da empresa.

Com esses dados em mãos, é possível:

Verificar a viabilidade de sua empresa antes mesmo de ela sair do papel.

 Saber qual a quantidade necessária de vendas para manter a empresa crescendo.

 Identificar formar de reduzir custos fixos e variáveis.

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *