Pagcorp: startup quer ser Nubank para empresas

Quando se fala em banco digital, conta e cartão de crédito sem tarifa e anuidade, um dos líderes do mercado é o Nubank. Essa praticidade, baixo custo e facilidade de gestão financeira inspiraram a Pagcorp, startup que quer ser o Nubank para empresas.

A Pagcorp oferece cartões pré-pagos, que facilitam a gestão de gastos feitos por um funcionário em nome da empresa. Além de simplificar esse processo, o modelo oferece agilidade e independência na hora de fazer compras corporativas.

Elimina, por exemplo, aquela bagunça de comprovantes de transporte, alimentação e hospedagem, e a confusão na hora de organizar as despesas e reembolsos depois de uma viagem a trabalho.

O funcionamento é simples: a empresa adquire determinado número de cartões pré-pagos e distribui entre a equipe como quiser. Os funcionários, então, utilizam para fazer quaisquer compras necessárias.

Em seguida, registram a movimentação com fotos em um app próprio. Por fim, o departamento responsável na empresa monitora de maneira objetiva quais gastos foram feitos e onde.

cartao pagcorp

A solução traz ainda uma série de ferramentas, como gráficos que ajudam a entender quais são os principais gastos da empresa. O que permite planejar e criar estratégias para otimizar os recursos.

Cada cartão da Pagcorp custa R$ 15 e tem uma mensalidade que varia de R$5,90 a R$14,90, a depender do pacote escolhido. As quantias que são utilizadas pelos funcionários precisam ser carregadas à parte.

Hoje, a empresa tem uma carteira com mais de 400 clientes, de portes e áreas de atuação variadas. A expectativa é dobrar esse número até o final do ano.

Facilitar a vida de empresas

Segundo Liliane Josua Cazrny, diretora comercial da Pagcorp, o objetivo é facilitar a vida de empresas de todos os portes.

“O Pagcorp é um sistema de gestão que utiliza cartões pré pagos com chip para o controle e padronização das despesas corporativas. Os gastos podem ser presenciais e online como fundo fixo, adiantamento de viagens, pagamento de anúncios no Facebook e Google ADS, reembolsos, compra de passagens, caixinha e muito mais. No nosso sistema é possível cadastrar o tipo de despesa conforme demanda da empresa e fazer lotes de fundo fixo ou transferências online e em tempo real.”

Todo o processo entre cadastro e envio de cartões leva menos de uma semana. Tudo rápido e sem burocracia. Alguns dos clientes da startup: Grupo Positivo, Barry (produtora), Piloto TV, Grupo Contax, Lojas Shoulder, Amaro, Elo 7, Procable, Stone Pagamentos e Petz, além dos cartões das lojas Americanas e Postos Ipiranga.

Liliane conta que a Pagcorp trabalhava com cartão pré-pago dentro de algumas empresas, mas sem o sistema. Para atender melhor estes clientes, começaram a desenvolver uma ferramenta.

O sistema começou bem simples, mas novas empresas entraram e começaram a pedir para implementar novos recursos. Assim, o sistema que inicialmente era somente para transferências e extratos hoje têm um monte de possibilidades.

“E é assim até hoje. A cada mês colocamos novidades e estamos atentos às demandas de nossos clientes, que acabam nos indicando para outras empresas. Assim fomos criando uma carteira bacana de cliente.”

O público da Pagcorp, normalmente, são empresas de médio porte, que ainda não possuem todo um sistema elaborado estabelecido. E também os pequenos empresários, que precisam separar o dinheiro da empresa com o pessoal.

Benefícios das fintechs

Para Liliane, os maiores benefícios de se trabalhar com uma fintech são a flexibilidade, agilidade e a capacidade de fazer as mudanças necessárias em um curto espaço de tempo. “No nosso sistema, por exemplo, conseguimos fazer mudanças quase que diárias.”

Muitas startups fazem sucesso justamente por quebrarem a burocracia tradicional e trazerem a simplicidade para o mundo empresarial. Para as pequenas empresas, que têm poucas pessoas ou às vezes somente uma para tocar o negócio, isso faz bastante diferença.

“Com a nossa tecnologia a favor do empresário, ele consegue gastar o tempo dele com o core business do negócio, e não cuidando de detalhes. Ele consegue também analisar os números em tempo real e fazer as mudanças necessárias com o ‘carro’ em movimento, para garantir um melhor resultado no final do mês.”

Autonomia para empresas

A Pagcorp oferece cartão de crédito pré-pago. Uma modalidade que já existe porém não é muito difundida, já que todos conhecem mais o cartão tradicional.

Liliane explica as vantagens desse tipo de cartão para as empresas: “Para o pequeno empresário, por exemplo, é uma forma de separar os bolsos, permite que ele gaste R$5 mil reais em anúncios de Facebook sem precisar de crédito bancário”.

O processo é rápido e sem burocracia. Para as empresas maiores, o cartão pré-pago dá autonomia para os funcionários. Um exemplo citado por Liliane é a Shoulder, rede de lojas de roupas.

Cada gerente tem um cartão e o usa desde para montar uma vitrine como para um pequeno concerto. Sem ter que adiantar dinheiro da gerente para a empresa, receber um valor da empresa na conta corrente ou, pior, tirar o dinheiro do caixa da loja.

O mesmo acontece com empresas que têm técnicos na rua, quando muitas vezes a verba comercial deles é próxima ao valor do salário.

“Dar dinheiro na mão é perigoso, depositar na conta muitas vezes é complicado, porque ele pode estar negativado ou sem querer usar parte da verba no dia a dia dele. E fazer o funcionário adiantar o dinheiro para a empresa é mais complicado ainda. Com o cartão a transferência é fácil, segura e online.”

Metas para 2018

Atualmente, a Pagcorp já conta com aproximadamente 400 empresas clientes ativas, mas o crescimento é exponencial. “Temos empresas de todos os setores, do varejo, produtoras de vídeo, engenharia, agrícola, indústrias, escolas e igrejas.”

Liliane conta que a startup quer, até o final do ano, pelo menos dobrar a carteira de clientes. E ainda há muitas ideias de como deixar o sistema mais completo. “Esta semana mesmo estamos subindo uma nova versão do sistema com mais interação do usuário final com a tesouraria. Uma meta nossa é fazer parceria com alguma empresa de ERP para deixar tudo conectado.”

Empreender em startup

Liliane empreende todos os dias na Pagcorp, a frente do negócio. Seus maiores desafios no dia a dia de empreendedora são, segundo ela, ter que por a mão na massa.

“Faço questão de participar de todas as áreas da empresa desde atender o cliente final ao telefone ao desenvolvimento das APIs. Mas, para mim, a parte mais difícil é a tecnologia, conseguir escalabilidade com segurança e conforto para os meus clientes sem perder a parte pessoal de atendimento humano.”

Ela conta que o ritmo de uma startup é mais acelerado, todos têm que saber de tudo e participar de tudo. “Criar uma escalabilidade exige uma atenção e cuidado redobrados.”

Liliane considera muito difícil empreender no Brasil hoje. Para ela, é preciso coragem para enfrentar as leis trabalhistas e as burocracias para abrir e fechar uma empresa.

“Acho que tem muita gente bacana chegando por aí e muitas ideias incríveis sendo implementadas para facilitar a vida das pessoas e empresas. É um bom momento para fazer coisas diferentes.”

Para ela, o mais importante é ouvir o cliente e entender a dor dele. “Quando comecei a vender o Pagcorp, achava que seria um sistema de controle e na verdade o que as empresas buscam é autonomia. O exato oposto. Baseado nisso fomos trabalhando para entregar o que nosso cliente busca. Portanto, escutar o cliente é o nosso maior diferencial.”

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *