O que são negócios escaláveis e como aplicar em pequenos negócios

Com o boom das startups é muito comum ouvir falar sobre o termo negócio escalável. Por conta disso, vamos ajudar a esclarecer esse novo formato e, principalmente, como ele pode aplicar-se à sua empresa.

Será que todo negócio tem perfil para ser escalável? Em quais cenários essa proposta de expansão pode ser interessante e direcionar rumo ao crescimento?

negócios escaláveis

Adriano Nodari, consultor e especialista em gestão empresarial apresenta a seguir definições sobre o modelo escalável e dicas de como direcionar aos pequenos negócios.

O que são negócios escaláveis?

O primeiro passo é compreendermos o que é esse formato e como funciona na gestão. Pense quando uma pequena empresa realiza um contrato de prestação de serviço, ou seja, fecha um novo negócio com um cliente.

Vai precisar de mais mão de obra e recursos disponíveis. E, se fechar um segundo negócio, esses custos aumentarão na mesma proporção.

Por demandar mais recursos para cada venda, em um momento o negócio pode se tornar inviável, como uma empresa, por exemplo, do Rio de Janeiro atender uma empresa no Acre ou no exterior.

Por essa razão, um negócio, com esse modelo, necessitará de grande investimento para crescer de forma rápida e ter grande volume de venda ou ganhar escala.

Os negócios considerados escaláveis têm um conceito um pouco diferente. Eles até podem necessitar de um alto investimento inicial, porém possuem três fatores fundamentais:

1) seus custos não crescem na mesma proporção do aumento de vendas;
2) conseguem atender um grande número de clientes, sem que a distância seja um grande gargalo;
3) por esses fatores anteriores, a empresa tem a possibilidade de crescer muito em pouco tempo (esse seria o fator principal).

Nodari explica que a proposta de negócios escaláveis pode ser muito interessante aos pequenos negócios, principalmente em fase inicial.

“O alerta que faço é o seguinte: esse modelo deve ser seguido com estratégia. O ideal é que num prazo estabelecido ocorra o aumento dos lucros, para não existirem prejuízos”, alerta o consultor.

Exemplos de empresas escaláveis

Para definirmos o que é uma empresa escalável imagine negócios com grande potencial de expansão em vendas, mas não por isso, aumento dos custos na mesma proporção.

O que é interessante não só para pequenas empresas como para as grandes corporações, como a Google e a Microsoft.

Embora os custos operacionais na criação de softwares ou contratação de especialistas para o desenvolvimento seja relativamente alto, as vendas via web possibilitam ter um grande mercado à disposição com custos bem menores quando comparamos com as lojas físicas, por exemplo.

“Negócios escaláveis podem ser muito bem aplicados para empresas que trabalham com tecnologia. A principal vantagem está no baixo custo operacional e despreocupação com infraestrutura, armazenamento ou estoque”, pontua.

Empresas especialistas em softwares encontram oportunidades por meio dos downloads digitais e aproveitam muito bem o mercado escalável. E-books, jogos, app de músicas e materiais online são ótimos exemplos.

Pontos essenciais para tornar sua empresa escalável

Mantenha padrões

É preciso facilitar todos os processos e torná-los fáceis de reproduzir.

Invista em treinamento da equipe e, principalmente, otimização do trabalho.

O padrão de qualidade deve ser mantido, independentemente da carteira de clientes ou número de downloads.

Expansão para novos mercados

A partir do momento em que o negócio é reaplicável, abre espaço para novas oportunidades e expansão em diferentes ambientes.

Não é indicado para modelos criativos que requerem individualização

Por conta dos padrões que devem ser estabelecidos, o modelo de negócio escalável é pouco indicado para empresas que atuam com personalização e materiais específicos para cada cliente.

Ideal para franquias

Franquias são bons exemplos de negócios escaláveis.

Ao vender uma franquia, por exemplo, não precisa pagar pelo custo do aluguel ou operações, pois isso ficará por conta do proprietário da franquia.

Um modelo de ampliação, sem custos. Bons exemplos são as empresas Starbucks e McDonalds.

Plano de negócios atraente para investidores

A ideia de investir em softwares é bastante atrativa e um exemplo de negócio escalável.

Na hora de pensar no produto é importante levar em conta não só as aplicabilidades e benefícios ao consumidor.

Pense em produtos de alta qualidade e não esqueça do baixo suporte e equipes mínimas que o modelo escalável irá exigir.

Vantagem competitiva

Os negócios escaláveis acrescentam vantagens frente à concorrência, principalmente àqueles que seguem modelos lineares convencionais.

A primeira vantagem competitiva é a facilidade em replicar os serviços, uma vez que existe a padronização. Isso assegura a qualidade, independentemente do número de clientes e do fluxo de serviços.

A segunda vantagem é manter-se sempre disponível para atender o cliente e não depender de infraestrutura, estoque ou mão de obra.

O terceiro ponto positivo dos negócios escaláveis frente à concorrência é a possibilidade de gastar menos em produtos e serviços, e pensar em estratégias de marketing, por exemplo, que possam agregar valor à marca.

“Nos pequenos negócios é uma oportunidade de tornar a empresa mais competitiva e ampliar as oportunidades no mercado. Lembrando que a análise do custo sobre a aquisição dos clientes e de produção deve ser considerada”, salienta.

Nodari explica que é essencial manter fixo o custo de produção, aquisição do cliente e escala. Uma vez que esses custos aumentam, não obedecem à lógica de modelos escaláveis.

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *