O que é preciso para ser um franqueado?

Muitas pessoas têm o desejo de empreender em franquias. Mas o que será que é preciso para ser selecionado como um franqueado de uma marca? Será que é preciso só investimento? Engana-se quem acha que sim.

Para entender melhor sobre o processo de seleção do franqueado, conversamos com uma especialista no assunto. Na ABF Franchising Expo, a maior feira de franquias da América Latina, entrevistamos Angelina Stockler, sócia-diretora da ba}STOCKLER, uma consultoria em franquias.

Perfil ideal do franqueado

Segundo Angelina, o que as franqueadoras procuram hoje é um franqueado que tenha perfil empreendedor. Ou seja, ele tem de saber que vai ser dono do próprio negócio.

“Ele tem de assumir riscos. Por mais que franquia tenha um risco menor, todo negócio envolve assumir riscos. Tem que saber fazer gestão de pessoas, um pouco de finanças, porque ele vai ter de fazer a gestão financeira.”

É preciso ser um pouco gestor mas, mais do que nunca, com perfil empreendedor.

Treinamento da franqueadora

Muitos empreendedores que resolvem investir em uma franquia não têm essa noção de gestão e finanças. Mas isso não é um problema.

“Esse é o grande barato da franquia e o grande diferencial do sistema de franchising. Ele tem que ter o perfil, gostar e querer ser dono do negócio dele. A parte de capacitação é papel das franqueadoras.”

Ela explica que existe todo um programa de capacitação que é dado para esse empreendedor. Vai desde gestão de marca e de pessoas, finanças e operacional.

“Nesse processo, o empreendedor aprende a comprar e a vender. Isso minimiza os riscos, porque você tem todo um programa de treinamento para o empreendedor e para a equipe dele.”

Precisa ter conhecimento técnico?

A exigência de um conhecimento técnico como pré-requisito para ser um franqueado varia dependendo da franquia.

“Tem que entender quais são as características do negócio que ele vai escolher. Existem negócios que não exigem nenhuma capacitação técnica. Mas há negócios mais específicos, por exemplo de Medicina ou Odontologia. Aí precisa, sim, ter alguma capacidade técnica.”

Por isso, é importante que o empreendedor analise o negócio no qual vai empreender, para entender que tipo de capacitação é exigida.

O que acontece depois do cadastro?

A maioria das redes de franquias tem em seu próprio site uma área de “Seja um franqueado” ou algo do tipo. Ali mesmo, o empreendedor interessado pode se cadastrar e se candidatar a franqueado.

Há também o cadastro realizado em feiras e eventos como a ABF Franchising Expo. Nesse caso, normalmente há um representante da franquia disponível para tirar dúvidas e explicar o modelo de negócio.

Mas, depois de feito esse cadastro, como é a seleção? Essa é uma dúvida comum entre os candidatos.

Angelina ressalta que o empreendedor tem que entender que todo o processo de seleção é estratégico para a franqueadora.

“A franqueadora está quase que escolhendo um sócio. Não é bem uma sociedade mas é como se fosse. Existe um processo seletivo rigoroso, às vezes até muito rigoroso.”

Depois do cadastro inicial, o interessado vai preencher uma ficha mais completa. Essa cadastro vai ser analisado pela franqueadora.

Em seguida, o candidato passa por uma série de entrevistas. “Às vezes é feito também um perfil psicológico e empreendedor desse candidato. Ele vai ser analisado.”

Para Angelina, o candidato a franqueado deve entender que a seleção é uma via de mão dupla. As franqueadoras vão investigar o candidato, e é papel dele também investigar a franqueadora.

“Depois dessas entrevistas às vezes tem um test drive, onde ele vivencia um dia numa loja. Às vezes tem que fazer algum teste específico dependendo do negócio.”

Quanto tempo dura a seleção?

É um processo um pouco longo, até que o candidato a franqueado recebe a Circular de Oferta de Franquia, conhecida como COF. Depois, ele assina um pré-contrato. E só depois, um contrato final.

Angelina ressalta que pode ser um processo longo e chato, mas que é necessário para a segurança de ambas as partes.

Segundo ela, esse processo pode durar de um a dois meses, dependendo do negócio e da franqueadora.

Como aumentar suas chances de ser selecionado?

Segundo a consultora, os candidatos que já possuem alguma experiência em gestão de negócios levam vantagem. O mesmo acontece com quem já conhece um pouco do sistema de franquia.

Quem já fez algum curso de capacitação, mesmo que rápido, como os que aconteceram na ABF Franchising Expo deste ano, também saem na frente. Isso mostra para a franqueadora que o candidato tem bastante interesse no setor.

“Eu recomendo que se capacite e entenda o negócio antes de entrar no mercado de franchising. Na própria ABF há vários cursos, tando online quanto presencial. Faça, porque assim você vai levar vantagem com  os seus concorrentes.”

Saiba como escolher uma franquia

Na ABF Franchising Expo também falamos com o vice presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), André Friedhein. Ele destacou alguns pontos importantes na hora de escolher uma franquia.

Para André, é mais seguro investir em uma franquia porque, teoricamente, você tem acesso a uma marca, a ganhos de escala, ao know how do franqueador.

Assista à entrevista completa aqui!

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *