Michel Lent: empreendedorismo serial no meio digital

Ele foi eleito Profissional de Comunicação Interativa de 2012 pela Associação Brasileira de Agências de Propaganda. Foi escolhido um dos 50 profissionais mais inovadores do mercado publicitário em 2013. Já lecionou e palestrou em universidades por todo o Brasil e no exterior. Confira a entrevista completa com Michel Lent, pioneiro na indústria digital no Brasil e conhecido pelo empreendedorismo serial.

O que é empreendedorismo serial?

Você já ouviu falar em empreendedorismo serial? O empreendedor serial é aquele que cria oportunidade frequentemente. Seu foco é criar e desenvolver novos negócios. Gosta da adrenalina do novo, do desafio.

Michel Lent se encaixa perfeitamente nessa categoria. Ele conta que há mais de 20 anos trabalha com o mercado de internet. E, quando começou, a área ainda era muito nova, não havia vagas. Então, ser empreendedor foi uma saída à falta de oportunidades no seu perfil.

“O mercado de internet apareceu para mim no finalzinho da década de 90, quando eu estava terminando de me formar. Quando eu fui procurar trabalho, na verdade não tinha. As empresas que contratavam gente com o meu perfil eram empresas com dois a cinco meses de existência. Então, eu fui trabalhar em alguns lugares inicialmente, mas logo me vi abrindo meu primeiro negócio, com 24 para 25 anos.”

Com o mercado evoluindo muito, um mercado digital sempre em evolução, ele foi passando por outras empresas. “Eu fui empreender, não necessariamente por uma escolha, mas porque o mercado não existia e a gente precisava formar o mercado. Na medida que você vai fazendo isso várias vezes, acaba virando um empreendedor serial mesmo.”

Hoje, ele afirma que não sabe viver de outra forma. Para Michel, na medida que você consegue empreender e consegue entender os riscos, entende que é a melhor opção.

O risco existe em qualquer tipo de estrutura. Empregado ou patrão, você tem riscos. A questão é que são riscos diferentes. Na minha opinião, como empreendedor o seu risco pode ser maior, mas seu ganho pode ser muito mais interessante, e o prazer não tem preço.

Reinvenção constante

Hoje, muito se fala em disruptura e reinvenção. Um empreendedor que a cada dia se reinventa, conhece coisas novas e aprende para evoluir.

“Eu não acho que o empreendedor precisa, necessariamente, estar sempre mudando. Ele pode estar sempre mudando internamente, sempre buscando o aperfeiçoamento. Mas isso deveria ser uma característica de qualquer pessoa no mundo contemporâneo.”

Para Lent, a sociedade industrializada do final do século XIX se manteve durante alguns anos bem organizada. A regra era entrar em uma escola, estudar, ter um diploma, entrar em uma empresa e sair aposentado.

“Isso não existe mais. E não vai existir. É menos a busca da mudança, da novidade, e mais a busca do controle da sua vida profissional, da sua carreira, que precisa estar no DNA de todo mundo. Mesmo quem não é empreendedor deveria se questionar e se educar de alguma forma para buscar isso. Porque isso é uma coisa inevitável, sendo você empregado ou a frente do seu próprio negócio.”

Passando por muitas empresas, ele pode perceber que qualquer empresa enfrenta dificuldades, em algum momento. O mais importante, para Lent, é entender que “empresas são, acima de tudo, um conjunto de pessoas”.

“Talvez o que eu tenha me educado mais ao longo desses anos foi tentar trabalhar com a resiliência e com paciência, com entendimento. É vestir o sapato do outro. A gente vive em um mundo de pessoas. Então, por mais que a gente fale em automação, todo o lado técnico, você tem o lado da inteligência emocional que precisa estar muito alinhado com o seu QI.”

Como escolher o próprio negócio

Michel Lent, como adepto do empreendedorismo serial, já abriu vários negócios. Para quem pensa em seguir o mesmo caminho, ele avisa: “primeiro, tem que fazer o que gosta, isso é absolutamente fundamental”.

Lent indica um vídeo famoso do Steve Jobs, que rodou muito tempo pela internet, de um discurso feito em uma formatura, em que Jobs fala em “ligar os pontos”.

“Eu acho isso super importante. Se você puder somar o que você já sabe ao que você gosta. Depende muito do estágio da vida em que você está. Mas é importante você procurar alguma coisa em que você já tem o seu diferencial.”

Outro ponto essencial, para Michel, é a viabilidade do negócio. Entender como esse negócio cresce e como vai trazer dinheiro.

“O dinheiro não vem automaticamente. Há uma distorção na forma como somos criados. Quando você estuda, tira nota boa e passa de ano, você acha que se fizer um bom trabalho, vai ganhar dinheiro e dar certo. Não é necessariamente assim. Não é uma meritocracia direta.”

Meio digital

Pioneiro no mundo digital, Michel Lent hoje é um especialista no assunto. Ele concorda que a velocidade é maior no meio digital, e parece que a facilidade também. Hoje em dia é muito mais fácil criar uma marca, um site, uma página na internet.

“Fazendo uma comparação histórica, os meios de produção do século passado e até mesmo a informatização nos anos 80 e 90 eram caríssimos. Sem dúvida nenhuma, estamos vivendo um momento em que a barreira de entrada é muito menor.”

Mas, quando questionamos se está mais fácil empreender hoje, ele responde: “Por outro lado, pela barreira de entrada ser muito menor, fica mais difícil. Quantos canais com 1 milhão de assinantes nós temos no Brasil? Centenas. E duas ou três pessoas fazem dinheiro com isso”.

Se por um lado, o meio digital facilitou e democratizou a entrada, diminuindo barreiras, não ficou necessariamente mais fácil empreender. “Você precisa ter muita resiliência, muito entendimento do que você está fazendo.”

Para Lent, as pessoas confundem sucesso de público com sucesso financeiro. “Eu considero que a minha primeira empresa foi um sucesso estrondoso de público, mas um fracasso retumbante financeiro. Porque a gente não sabia ganhar dinheiro.”

Como valorizar seu diferencial

Outro fator trazido pelo meio digital foi o aumento da oferta. Hoje, a qualquer palavra digitada nos sites de busca, vem uma chuva de resultados para o usuário escolher. Então, como se diferenciar nesse meio?

“Primeiro, a adequação da sua oferta, do que você está se propondo a fazer, para um problema real. Não adianta você resolver vender camisetas coloridas se não tem gente querendo comprar camisetas coloridas.”

Para Michel Lent, a partir do momento em que você entende qual é o seu nicho, a primeira diferenciação acontece pela qualidade do serviço.

“São coisas muito simples, mas é impressionante como as pessoas dão pouco valor a isso. Coisas básicas como: marcou 15h, vai chegar 15h10, avisa que vai atrasar 10 minutos. Se disse que vai entregar amanhã, entrega amanhã. E se tiver algum problema, avisa.”

Ele lembra que é importante ter esse pacto de consistência e solidez no que você está fazendo. “É simplesmente se propor a entregar bem o que você se propôs a fazer.”

Boas formas de se diferenciar, quando você tem um produto com muita oferta no mercado, é investir em atendimento ao consumidor e assistência técnica, por exemplo.

“Um defeito que muitos têm é achar que podem fazer mil e uma coisas incríveis e maravilhosas. Faz três bem feitas.”

Michel acredita que o empreendedorismo vai ser inevitável no mundo. “Nunca tivemos uma época de tantas incertezas. Mas, por outro lado, tem muita oportunidade.”

Para ele, é fundamental ter essa cabeça empreendedora, seja sozinho ou estando dentro de uma empresa.  E mergulhar de cabeça nesse universo sem medo.

“Nem que a gente empreenda nossa própria marca, como indivíduo, inserido em uma cadeira profissional. Mesmo que você não tenha uma empresa, você é empreendedor da sua própria carreira. Isso é super importante.”

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *