Marketplace: Presença de varejistas aumenta 90% ano a ano

Bling! oferece integração a grandes shoppings virtuais para impulsionar vendas e crescimento de parceiros e-commerces
À medida que o comércio está cada vez mais inserido no mundo virtual, ter apenas um e-commerce se torna uma estratégia fraca para as PMEs. Os marketplaces já são o principal canal de venda de varejistas na internet, segundo recente pesquisa do Sebrae em parceria com o E-Commerce Brasil, Loja Integrada (VTEX) e B2W. Outra pesquisa, da Precifica, empresa de monitoramento de preços do setor, mostra que passou de 7.448 para 14.204 o número de lojas nos shoppings virtuais de agosto de 2017 para o mesmo período de 2018 – um aumento de 90,2%. 

“Hoje não há negócio do varejo que não tenha operação on-line, o que torna o ambiente muito competitivo para qualquer segmento. Por isso, os empreendedores têm de buscar maneiras de se diferenciar”, afirma Sidney Zynger, sócio do Bling! (www.bling.com.br), ERP que atua como facilitador desse processo, oferecendo integração de e-commerces com os principais marketplaces, como Magazine Luiza, Mercado Livre, B2W, Amazon, Carrefour, Leroy Merlin e Via Varejo. 

Zynger aponta o aumento da visibilidade, da credibilidade e, consequentemente, das vendas como os principais benefícios para os varejistas. “Mesmo que os consumidores acessem essas plataformas em busca de uma marca específica, ele se depara com outras de diferentes setores, clica para conhecê-las e compra outros produtos. Assim, pelo amplo alcance de internautas que proporcionam às PMEs, os marketplaces se tornam grandes canais de divulgação também”, afirma. 

Ainda, a centralização do pagamento e a variedade de formas de realizar a transação – por plataformas digitais, cartão, boletos, entre outros – é uma facilidade dos shoppings virtuais que atrai os clientes. Por maior que for a quantidade de produtos que adicione ao seu “carrinho”, ele pagará por tudo apenas uma vez. “Os pequenos negócios se inserem em uma estrutura pré-pronta de comércio eletrônico, o que ajuda a reduzir custos e aumentar a credibilidade”, diz Zynger. 

O sócio do Bling! cita um exemplo para mostrar os benefícios que o modelo oferece. Um dos clientes do ERP, a loja de acessórios para ciclistas Bike Runners, usa as funcionalidades de integração para atuar no Magazine Luiza e no Mercado Livre, dois grandes marketplaces brasileiros. E é dessas plataformas que vem 70% do faturamento on-line da marca. “Assim como a Bike Runners, temos outros clientes cujo faturamento nos shoppings virtuais é até maior”, afirma ele. 

Com a perspectiva do aumento da participação de vendas na internet no varejo, estratégias do tipo são essenciais. De acordo com estimativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o comércio eletrônico deve movimentar R$ 79,9 bilhões em 2019, um aumento de 16% em relação ao índice de 2018.

A participação dos marketplaces nesse filão também está em alta: a projeção é que eles respondam por 35% das vendas, em contrapartida a 31% no ano passado. O Bling! oferece planos com integração de marketplaces a partir de R$ 50 mensais.
Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *