O que é e como funciona um IPO?

O IPO (Initial Public Offeringo), ou em português, Oferta Pública Inicial, é a abertura de capital da empresa. Ou seja, é quando uma empresa vende ações para o público pela primeira vez, permitindo que acionistas adquiram partes da companhia.

Empresas de tecnologia como o Facebook, Twitter e Google arrecadam milhões de dólares com essa transação.

A captação de recursos é o principal motivo da abertura de capital de uma empresa. No entanto, assim como alguns outros processos, a venda de ações possui vantagens e desvantagens. Chegar na fase do IPO significa que a empresa está bem sucedida o suficiente para exigir mais capital e continuar a crescer.

. Conheça a escada de investimento de uma startup

IPO bolsa de valores
A captação de recursos é o principal motivo da abertura de capital de uma empresa

Vantagens e desvantagens do IPO

Entre as vantagens para os proprietários está o constante crescimento dos lucros. Além disso, o IPO permite que as instituições atraiam os melhores profissionais oferecendo a opção de receber ações.

Como nem tudo são flores, a abertura de capital pode trazer prejuízo se não for bem cuidada. Por ser um processo caro e burocrático, se faz necessária a contratação de um banco de investimento, a partir do momento em que a empresa decidir abrir as portas para os acionistas.

No que diz respeito aos investidores, o IPO também é uma excelente possibilidade de obter grande lucro, já que as ações podem disparar quando são vendidas pela primeira vez no mercado.

Por ser a primeira negociação pública, os investidores desconhecem alguns fatores importantes para a análise de uma ação, como volatilidade e demanda. Algumas vezes o valor das ações pode disparar no dia da abertura do capital e despencar alguns dias depois. É preciso ficar atento ao mercado.

IPO capital investimento
O processo do IPO custa, em média, R$2 milhões em taxas, honorários e despesas

Como é o processo de IPO?

Com uma previsão de, aproximadamente, R$2 milhões em taxas, honorários e despesas, o processo costuma demorar até 12 meses. É comum que as empresas tenham cargos fixos durante o IPO. Entre eles: gerente de projetos, banqueiro de investimento, advogados contadores e especialista da CVM (Comissão de Valores Mobiliário).

Eventos importantes são estabelecidos numa espécie de cronograma. A montagem de um prospecto é um exemplo de acontecimento que ocorre cerca de 10 meses antes da data de lançamento do IPO.

Nela, estão inclusos históricos de demonstrações financeiras da companhia. Depois disso, os contratos de transição de propriedade devem ser inscritos em seis meses.

Três meses antes da abertura de capital o conselho se reúne com a auditoria para listar a empresa na Bolsa de Valores, local de onde sairão as ações. Já no último mês, a companhia deposita seu prospecto junto à CVM e emite um comunicado à imprensa para vender as ações.

Passo a passo simplificado

1) A empresa decide fazer a oferta pública inicial;
2) Entra em contato com os órgãos reguladores avisando a sua intenção;
3) Fala com um banco de investimentos para ajudá-la a operacionalizar o processo;
4) Os órgãos liberam a empresa para o IPO;
5) A empresa lança um prospecto publicamente para que todos tenham chance de participar da oferta;
6) É divulgado o cronograma;
7) A empresa pega as ofertas dadas e decide a qual preço vai vender cada ação.

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *