Fluxo de caixa: o que é e como controlar

O Fluxo de Caixa é um instrumento de controle financeiro que permite acompanhar as movimentações financeiras de uma empresa. É muito importante para o seu negócio. Ele avalia a relação das entradas (receitas) e saídas (despesas) realizadas em períodos determinados.

Sem planejamento, é muito comum que a empresa não tenha caixa suficiente para gastos e investimentos. Não importa o tamanho ou o setor, todas precisam ter claro controle do que entra e sai do caixa. Além do que está para vencer a pagar e a receber.

Um fluxo de caixa tem uma característica temporal, pode ser diário, semanal, mensal, anual, e traz componentes de projeção ou estimativa. É importante considerar os saldos de ciclos anteriores para compor as disponibilidades (ou indisponibilidades) nos ciclos posteriores.

Os momentos de escassez de crédito, altas taxas de juros, queda do faturamento, entre outros, exigem do empresário uma gestão financeira cada vez mais eficiente. Sendo assim torna-se necessário utilizar controles financeiros que permitam conhecer com mais eficiência os recursos de caixa.

Um modelo de Planilha de Fluxo de Caixa fornecido pelo Sebrae pode ajudar na tarefa cotidiana de “fechar o caixa”.

Fluxo de Caixa
O Fluxo de Caixa é fundamental para o sucesso do seu negócio

Por que o Fluxo de Caixa é importante?

A importância do fluxo de caixa na gestão financeira é inquestionável. É preciso acompanhá-lo e analisar seus dados regularmente, o que fornecerá mais embasamento para que você faça sua empresa crescer cada vez mais.

Resumidamente, o Fluxo de Caixa:

✓ Auxilia no gerenciamento de gastos;
✓ Assegura seu controle financeiro;
✓ Garante um Planejamento Financeiro;
✓ Apoia o processo de tomada de decisão.

. Negócios lucrativos: 11 ideias para você começar

Cuidado com a falta de controle

A falta de controle traz situações como:

✓ Dificuldade ao pagar fornecedores;
✓ Problemas com vendas parceladas;
✓ Dificuldade de enxergar a real situação financeira da empresa;
✓ Apertos no final do mês e sacrifícios dos sócios;
✓ Necessidade de empréstimos ou financiamentos de terceiros.

Como fazer um fluxo de caixa?

1 – Escolha um período para controlar. Para começar o seu planejamento você precisa definir qual período você irá fechamento de caixacontrolar. Este período será o período que a sua “bola de cristal” irá funcionar.

Dependendo do tipo do seu negócio você pode controlar o fluxo de caixa por dia, semana, quinzena ou mês. Não escolha um período muito longo, senão você corre mais risco de perder o controle do seu fluxo de caixa.

2 – Faça uma planilha das “contas a pagar” e “contas a receber”. Aponte os compromissos já assumidos e valores a receber, já conhecidos ou facilmente estimados.

3 – Estime sempre despesas ainda não lançadas no “contas a pagar”, tais como impostos, contas de água, luz, folha de pagamento etc. Tente também conhecer a sazonalidade dessas contas, suas datas de vencimento e reajustes para melhor estimar.

4 – Nas vendas à vista, utilize como base a média diária das vendas realizadas normalmente. Considere também os meses de movimento mais forte ou mais fraco para a média. Seja conservador nestas estimativas que serão muito facilitadas se for mantido um controle diário de receitas e despesas. Lembre-se: as despesas são quase sempre certas e as receitas quase nunca.

Recebimentos e pagamentos

Entenda a diferença:

Recebimentos –  Vendas à vista, vendas a prazo, em cheques (inclusive pré-datados), duplicatas, cartões, rendimentos de aplicações e outros recebimentos.

Pagamentos – Fornecedores, despesas bancárias e financeiras, salários e encargos de funcionários, comunicação – telefonia, internet, correios etc. -, manutenções – equipamentos, veículos, prédios etc. -, retirada pró-labore – salários dos sócios que trabalham na empresa -, serviços de terceiros – contador, advocacia etc. -, impostos e contribuições, materiais – escritório, copa, limpeza etc. -, investimentos realizados, amortização de empréstimos e dividas.

5 – Analise o fluxo de caixa. Quando a entrada de recursos é maior do que a saída, temos um saldo positivo, caracterizando uma situação superavitária. Por outro lado, quando a saída de recursos é maior do que a entrada, temos uma situação deficitária.

Saldos diários elevados, tanto negativos quanto positivos, sugerem a necessidade de melhor organização financeira. Implicam financiamentos a custos elevados (saldo negativo) ou custo de oportunidade da aplicação (saldo positivo) e que poderiam render juros em aplicações ou melhores condições de pagamento junto a fornecedores.

Saldos negativos devem ser analisados. A primeira providência é descobrir as causas: atraso nos recebimentos, alta taxa de inadimplência, queda repentina nas vendas, atraso nos recebimentos dos clientes etc. Este problema também ocorre se as diferenças entre os prazos de recebimentos e pagamentos forem altas e a empresa não se planejar, com a organização do capital de giro.

Se a empresa vender muito mais em um mês do que em outro, sem se organizar, poderão ocorrer falhas no fluxo – já que os pagamentos podem ocorrer antes dos recebimentos relativos às vendas. Por isso, é necessário ter uma reserva de capital de giro. Por outro lado, as faltas no caixa devem ser avaliadas para saber se não estão a ocorrer em razão das vendas estarem abaixo do ponto de equilíbrio.

Composição do fluxo de caixa

✓ Faça o registro diário de entradas e saídas;
✓ Projete os pagamentos e recebimentos futuros;
✓ Analise o saldo diariamente e em períodos futuros;
✓ Em situação deficitária, tome decisão sobre necessidade de capital de giro;
✓ Em situação superavitária, tome decisão sobre investimento e aplicação do recurso.

Sugestão:
Controlar e organizar o fluxo de caixa é fundamental para qualquer empresa que deseja ter lucro. Apesar de inicialmente ser fácil controlar tudo pelo Excel, com o tempo a planilha fica complexa e você pode acabar perdendo o controle.

É por isso que vale usar um Software de Controle Financeiro Online ou pedir ajuda para um profissional que entenda do assunto.

Curso do Sebrae sobre Fluxo de Caixa

O curso Fluxo de Caixa do Sebrae é online. Tem como objetivo ensinar o empreendedor a conhecer e utilizar as informações sobre a entrada e saída de recursos financeiros. Ele é gratuito e tem a duração de 15 dias / 6 horas.

Durante as aulas, você terá o apoio e orientação de um tutor, que esclarecerá dúvidas. Além disso, receberá um certificado digital ao concluir a capacitação.

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *