Femme Fatale: ela faz sucesso falando de beleza, comportamento e cerveja

“Desde assunto de ‘mulherzinha’, cabelo, maquiagem e moda, até uns ‘papo-cabeça’ sobre coisas que eu vivo, pensamentos que eu tenho, comportamento, e muita cerveja artesanal, que a gente gosta ‘pra caramba'”.

É assim que Jéssica Lopes descreve o seu canal no YouTube, hoje com mais de 200 mil inscritos. Seus conteúdos conquistaram de vez um público cativo, em busca de informação, entretenimento, dicas e curiosidades.

Blog Femme Fatale
Jéssica Lopes, do Femme Fatale (Foto: Reprodução Facebook)

Mas, ser uma influenciadora digital nunca foi algo planejado.

“Não esperava de forma alguma (risos). Criei a minha primeira plataforma na época em que isso não era uma profissão, como um hobby.”

Parcerias com marcas e outros influenciadores

No Facebook, são quase 90 mil curtidas na página. Só no Instagram, ela tem 117 mil seguidores. Uma foto chega a ter mais de 14 mil curtidas.

Com isso, ela consegue boas parcerias com marcas e outros influenciadores.

Algumas ações específicas rendem um bom aumento do número de seguidores. Mas, no geral, ela conta que o crescimento das suas redes sempre foi constante.

“Hoje eu percebo que algumas ações junto a pessoas também influentes arrecadam um número maior de seguidores naquele momento. Mas em geral, meu crescimento possui uma média constante e foi assim desde o início.”

Segundo Jéssica, 90% das parcerias que possui partiram das próprias marcas. “O caminho foi inverso: a marca veio até mim.”

Conteúdo diversificado

Jéssica explica que existe um planejamento do conteúdo a ser publicado. Mas revela que seu canal permite falar de diferentes assuntos, e ela aproveita isso para produzir conteúdos cada vez mais diversificados.

“Minhas redes não possuem um assunto nicho, abrindo um leque enorme de possibilidades. Sempre procuro ouvir muito o que o público tem a dizer em comentários e directs (as mensagens privadas do Instagram), assim como promovendo enquetes para, de fato, ver o retorno do público.”

Mais do que qualquer planejamento de conteúdo, o público é seu melhor termômetro.

“Procuro ter uma relação muito acessível, dentro do meu possível, ou seja, da disponibilidade de tempo. Curtir e responder comentários, retornar e-mails, directs. Sempre de forma simples e carinhosa.”

Femme Fatale 24 horas por dia?

Quando se trata de influenciador digital, a sensação é de que alguns parecem personagens. E fica aquela dúvida sobre a veracidade das publicações.

Porém, o que vemos cada vez mais é que sobrevivem nessa seara justamente aqueles que demonstram ser verdadeiros e humanos.

Jéssica sabe bem o que é isso. Ela garante que não é influenciadora 24 horas por dia.

“Divido essas horas diárias com o meu trabalho na cervejaria. Fora isso, até o namorado trabalha online comigo. Difícil conseguir fazer essa separação.”

Hoje, o Femme Fatale não é sua principal fonte de renda, apenas por ela não se sentir segura ainda.

“Não é a principal, apenas por considerar o meu salário que recebo em meu ’emprego de carteira assinada’ mais seguro. Apesar de o retorno financeiro que obtenho online ser muito bom, infelizmente não é certo. Este mês eu tenho, mês que vem posso não ter. Não me oferece a segurança necessária.”

Para cuidar de seus canais, ela tem a ajuda do namorado. Os dois dividem as tarefas para tocar o que hoje já é uma empresa registrada.

“Eu toquei sozinha por oito anos, três de empresa registrada. Hoje, conto com o namorado, que está mais focado em edição de conteúdo e assessoria.”

Para quem quer se tornar um influenciador digital, produzindo conteúdo relevante na internet, ela destaca alguns cuidados na hora de produzir qualquer conteúdo.

Conhecer seu público e lembrar que, como o nome sugere, estamos influenciando pessoas. Nosso conteúdo tem efeito positivo ou negativo na vida de alguém, precisa ter muita responsabilidade.

Ela segue tocando o negócio sem projetar, ao certo, o que vem por aí. “Eu acredito que esse trabalho não vai morrer, mas com certeza, vai se mutar. Se farei isso para sempre, não sei dizer.”

Luz, câmera… ação!

As fotos da Femme Fatale chamam atenção. Ângulos inusitados, looks muito bem montados, cenários bonitos e bem iluminados.

Uma luz boa, aliás, é a dica de Jéssica para quem quer produzir boas fotos de Instagram. Fora isso, ela indica uma boa câmera para dar conta do recado.

“E não precisa ser uma super câmera profissional. Hoje, celulares têm ótimas câmeras e você pode gerar todo o seu conteúdo, de fotografia a vídeos e edição, por ele. A luz melhora – e muito! – a qualidade da imagem. Depois, é você se dedicar a aprimorar aquilo que está gerando.”

Já para os vídeos do YouTube, o conselho da influenciadora é investir em edição.

“Qualidade de imagem é, sim, importante. Mas trazer um conteúdo leve, com uma edição dinâmica e interessante, vai proporcionar ainda mais engajamento com o público.”

Além da qualidade do conteúdo, é preciso investir e ter muito cuidado com a divulgação.

“Você precisa estar presente nas principais redes, engajar com o público em todas, e usá-las para divulgação. Postou um vídeo no YouTube? Divulgue no stories, faça uma publicação só com os melhores trechos para o feed, e por aí vai.”

Para buscar e conseguir boas parcerias, segundo Jéssica, ter uma assessoria com certeza ajuda. “Mas no final das contas, é tendo um bom conteúdo e sendo profissional que você vai garantir boas parcerias comerciais.”

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *