Escolas e universidades empreendedoras

A ideia de escolas e universidades empreendedoras ganha cada vez mais força. Mas você já deve ter escutado que as escolas e universidades brasileiras não têm aulas voltadas para a inovação e o empreendedorismo. Essa realidade começa a mudar.

As instituições e governos começam a incentivar o espírito empreendedor com orientações para os negócios nas novas gerações. Por exemplo, tramita no Senado Federal o Projeto de Lei PLS 772/2015 que inclui o empreendedorismo como tema transversal no currículo do ensino básico.

O Estado de São Paulo também lançou recentemente o primeiro Plano Estadual de Educação Empreendedora (PEEE) para escolas de Nível Fundamental e Médio. O documento vai nortear o ensino de mais de 3,7 milhões de estudantes das 5 mil unidades da Secretaria da Educação e 221 escolas técnicas do Centro Paula Souza.

Já o Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seeduc), também firmou uma parceria com a Junior Achievement/RJ e o Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP). O objetivo é implantar o programa educativo “Trilha Empreendedora” em 11 escolas da capital.

A Secretaria de Educação do Distrito Federal e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas local (Sebrae-DF) firmaram uma parceria para levar ensino de empreendedorismo nas escolas do DF.

universidades empreendedoras
Cada vez mais as instituições e governos começam a incentivar o espírito empreendedor

Empreendedorismo nas escolas

Algumas escolas particulares já possuem o empreendedorismo no currículo. Elas orientam os alunos a desenvolverem habilidades empreendedoras, auxiliando na independência e preparo para o mundo adulto e profissional. São atividades básicas, dentro de cada faixa etária, que potencializam a qualidade de ensino.

Ninguém nasce empreendedor, mas ao longo do tempo, com incentivo, características vão surgindo. E isso vai despertando a vontade de empreender.

O Programa Nacional de Educação Empreendedora do Sebrae e a Escola Sesi (Serviço Social da Indústria) oferecem cursos para jovens estudantes do Ensino Médio. Saiba mais sobre cada um deles abaixo.

Cursos no Sebrae

FJE – O Formação de Jovens Empreendedores (FJE) é um curso para estudantes do ensino médio que têm interesse em ter uma educação empreendedora inserida na sua formação escolar. O curso mostra que é possível aprender a empreender.

Despertar – O Despertar é um curso para o estudante do ensino médio que procura ter mais oportunidades, que sabe o que quer, tem visão de futuro e, para isso, busca uma formação que possibilite a construção de um projeto de vida.

Crescendo e Empreendendo – O objetivo desta solução educacional é provocar uma discussão com jovens sobre trabalho, negócio e empreendedorismo. Pretende-se que ele conheça esse universo e se predisponha a identificar oportunidades por meio da adoção de atitudes empreendedoras. O curso é trabalhado no formato de oficinas de 12h.

Escola Sesi

O currículo da Escola SESI para os alunos do ensino médio apresenta disciplinas do currículo nacional de forma contextualizada, por meio de oficinas tecnológicas e projetos de aprendizagem, com foco na busca de soluções para problemas reais. A grade curricular apresenta disciplinas como Projetos de Aprendizagem e Empreendedorismo.

Melhores universidades empreendedoras do Brasil

O Ranking Nacional de Universidades Empreendedoras, organizado pela Confederação Brasileira de Empresas Juniores, avaliou instituições de todo o país em seis aspectos. Mais de 4 mil estudantes foram consultados. Eles ajudaram a formular o índice de universidades empreendedoras no ano de 2016, resultando em seis pilares.

São eles: capital financeiro, cultura empreendedora, extensão, infraestrutura, inovação e internacionalização. Esses mesmos quesitos foram usados na edição de 2017.

Ao todo, 55 universidades entraram na avaliação final, após testes de confiabilidade das respostas. O objetivo do ranking, em sua segunda edição, é premiar as comunidades acadêmicas inseridas em ecossistemas favoráveis ao desenvolvimento da sociedade, por meio de práticas inovadoras.

Lista das universidades mais empreendedoras (nota de 0 a 10):

Posição Universidade Nota Final
1 Universidade de São Paulo (USP) 7,26
2 Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) 6,9
3 Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) 6,84
4 Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) 6,45
5 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) 6,18
6 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) 6,16
7 Universidade Federal de Viçosa (UFV) 5,91
8 Universidade de Brasília (UnB) 5,86
9 Universidade Federal de Itajubá (Unifei) 5,8
10 Universidade Federal do Paraná (UFPR) 5,74

As melhores universidades empreendedoras da Região Sudeste

USP, PUC-Rio, UNICAMP, UFMG (Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Minas Gerais)

Universidades empreendedoras sudeste

As melhores universidades empreendedoras da Região Norte

 

Universidades empreendedoras norte

As melhores universidades empreendedoras da Região Nordeste

Universidades empreendedoras nordeste

 

As melhores universidades empreendedoras da Região Centro-Oeste

 

Universidades empreendedoras centeo oeste

As melhores universidades empreendedoras da Região Sul

 

Universidades empreendedoras sul

A boa notícia é que o Brasil se tornou líder mundial em número de empresas juniores, superando a quantidade de negócios tocados por estudantes de universidades em toda a Europa. Em 2015, foram computadas 311 empresas distribuídas por universidades brasileiras, enquanto o continente europeu, onde o movimento surgiu na década de 1960, possui 296 iniciativas operando nos mesmos moldes.

Os dados também são do Censo e Identidade da Confederação Brasileira de Empresas Juniores, a Brasil Júnior.

Confira nossa lista de vídeos e podcasts gratuitos, continue seus estudos

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *