Empresário fatura R$2,4 mi por ano fazendo home office

O segmento de papel e plástico foi a aposta certeira do contador Julivan Arantes da Silva. Hoje, a Paperplast, criada em 2016, abocanha grande participação no mercado, baseada em uma estrutura enxuta de negócios.

A Paperplast é uma startup voltada à intermediação de compra e venda de materiais de papel e plásticos entre a indústria e o consumidor. O ecommerce surgiu como uma fonte complementar de renda para Julivan, que prestava serviços de contador a uma fábrica de materiais plásticos.

Julivan Paperplast
Julivan Arantes da Silva, empresário à frente da Paperplast (Foto: Divulgação)

Hoje sócio-fundador da startup, ele trabalha no esquema home office e fatura R$2,4 milhões por ano.

Oportunidade à vista

A indústria para a qual Julivan prestava serviços precisava aumentar seu faturamento. Ele e a equipe realizavam muitas reuniões buscando readequações tributárias para melhorar a lucratividade do negócio.

Em uma dessas reuniões, Julivan sugeriu que vendessem o material diretamente para o consumidor final, menos sensível ao fator preço. Seria uma alternativa, em vez de buscar apenas o distribuidor.

“Sugeri que criássemos um site para atingir a ponta. Tempos depois, em março de 2016, propus ao dono da empresa que eu mesmo criasse o site e, desde então, as coisas começaram a acontecer”, ele conta.

Julivan identificou a oportunidade avaliando que não havia ninguém vendendo o material que a empresa fabricava, de forma organizada, pela internet. Ele também não conhecia nada sobre o produto, resolveu arriscar e deu certo.

“Esse vácuo ajudou bastante, hoje em dia seria difícil concorrer com a concorrência que entrou partindo do zero. Foi um pouco de sorte mesmo, porque outros materiais que tentamos lançar já tinham uma concorrência mais acirrada e não tivemos o mesmo resultado.”

A principal dificuldade foi demonstrar para o dono da empresa que o negócio era viável e conseguir verba para divulgação baseado nos resultados obtidos. “Quanto mais eu conseguia captar de verba para patrocinar anúncios na internet, maior era o faturamento.”

O negócio próprio

Em pouco tempo, a Paperplast já respondia por 30% do faturamento de filmes plásticos da indústria, mas tal expressividade ainda não foi suficiente para manter a operação. “Do dia para a noite, a fábrica avisou que iriam descontinuar o produto que eu revendia pelo ecommerce”, lembra o empreendedor.

Foi quando ele decidiu apostar no pequeno negócio e seguir adiante. Firmou sociedade com um amigo, o engenheiro Marcelo Benetti, juntaram R$100 mil de capital por meio de estoque e buscaram novos fornecedores.

“Investimos R$100 mil e já multiplicamos o capital. Sendo que 50% de todo o lucro é reinvestido no negócio.”

Atualmente, Julivan tem entre seus clientes multinacionais dos setores automobilístico, construção civil e agronegócio. A Paperplast também distribui seus materiais por venda direta, ao cliente final.

Paperplast site

Todo o estoque é armazenado por um operador logístico terceirizado que despacha os materiais via transportadora, o que proporciona para a empresa um custo fixo muito baixo. E essa vantagem é repassada para o consumidor por meio de preços em média 15% mais baratos.

A empresa faturou, em média, R$200 mil por mês em 2017, e cresce 20% ao ano. “Criamos um modelo ágil que nos permite dar o melhor preço e focamos muito no atendimento ao cliente”, complementa o sócio-fundador.

Foco no preço, entrega e atendimento

Novos concorrentes surgem todos os dias. A meta do negócio é ser o maior e melhor player em todas as frentes. Em termos de preço, agilidade na entrega e, principalmente, no atendimento. Com esse mindset, a Paperplast vem se consolidando como líder em vendas via internet em um dos nichos de mercado até então inexplorados pelo comércio virtual.

Para Julivan, o foco é cuidar bem desses três pilares:

 Preço: “Somos agressivos no preço, mas hoje vejo que as pessoas também buscam segurança na compra e qualidade no material.”

Agilidade na entrega: “Entregas que atrasam geram um retrabalho infernal. Cliente desconfiado não para de ligar pedindo rastreamento do material. Quanto mais rápido tudo for resolvido, melhor.”

Atendimento: “Você precisa passar segurança para o cliente, e o atendimento é a melhor maneira de mostrar sua seriedade e converter vendas.”

Eu diria para alguém que esteja iniciando para tentar achar um nicho inexplorado. E se dedicar muito para que seu produto seja visualizado pelo seu cliente potencial.

A estratégia de ser um ecommerce, no caso dele, caiu como uma luva. “Porque era uma forma barata e eficiente de distribuir nosso material no Brasil inteiro. Vendemos um pouquinho para cada região, mas ao somarmos o todo o negócio ficou bem viável.”

Julivan acredita que o diferencial para ter sucesso foi o mesmo de todos os empreendedores que conseguem essa mesma façanha: “Sorte, trabalho, competência e aproveitar as oportunidades”.

A meta, agora, é aumentar o mix de produtos na linha de Papel e Plástico. Julivan quer tornar a marca Paperplast cada vez mais conhecida no Brasil.

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *