Cris Moreira e os desafios da mulher empreendedora

Quem vê hoje o sucesso de Cris Moreira não imagina o longo caminho de vitórias e fracassos pelo qual ela já passou.

Aos 46 anos, jornalista pela Universidade Estácio de Sá e com MBA em Gestão de Entretenimento e Marketing pela ESPM, ela está à frente da Interface Redação de Conteúdo, empresa com foco em comunicação empresarial.

O negócio nasceu em 2009 e já teve suas atividades interrompidas. Mas, depois de muita luta e aprendizado, hoje vai de vento em popa, assim como a autoestima de Cris.

Cris Moreira mulher empreendedora
Cris Moreira: mulher, mãe, esposa e empreendedora

A história que você vai conhecer nas linhas a seguir é uma longa trajetória de altos e baixos, tanto na carreira quanto na vida pessoal. Mas, o mais importante: com um “final feliz”.

Independência precoce

Cris Moreira trabalha desde os 15 anos, quando foi professora e coreógrafa de uma escola de modelos e manequins na Zona Norte do Rio de Janeiro. Conseguiu o emprego quando decidiu conquistar sua independência financeira.

Para Cris, essa experiência precoce foi muito positiva.

“Me deu responsabilidade, maior disciplina e independência também em relação ao dinheiro dos meus pais, que sempre deram todo suporte aos meus estudos. Mas senti a necessidade de ir atrás do ‘meu’, para dar ainda mais valor ao deles e ter autonomia de poder bancar pequenas coisas.”

Aos 17, quando ingressou na faculdade, ela se apaixonou pelo Jornalismo por acreditar que tinha talento para escrever.

Além disso, Cris não queria ficar em uma “zona de conforto“, seguindo a profissão do pai (médico) ou da mãe (advogada).

Motivação por desafios

Cris cursou Inglês e Francês durante o período da faculdade e concluiu os três cursos ao mesmo tempo. Ela conta que foi nesse momento que descobriu que era movida a desafios e o quanto ama aprender.

De estagiária na TV Rio, atual Record TV, ela passou a apresentadora da emissora. Trabalhou também na TV Manchete e TV Globo, e fundou a empresa E-Mail Assessoria de Imprensa, na mesma época.

Após muitos anos trabalhando em grandes empresas, ela decidiu abrir mão de um “emprego certo” para encarar os desafios da carreira de empresária. Mas, não foi fácil.

“Ser dona do seu próprio negócio é um desafio diário. É como o slogan da BandNews, ‘a cada 20 segundos, tudo pode mudar’. É preciso ter foco, disciplina, sabedoria e muita persistência para não desistir.”

Segundo Cris, a carga tributária desanima, mas ela aprendeu a se reinventar todos os dias.

“Não tenho sócios. Tenho parceiros que agregam e, sem vínculo, multiplico possibilidades de negócio e aumento a oferta de serviços sem criar um custo fixo alto. É isso que muitas vezes inviabiliza pequenas empresas.”

Sorte no amor e nos negócios

Enquanto trabalhava, Cris reencontrou o primeiro namorado que teve aos 14 anos. Ela e Marcelo Vieira, empresário da área de energia e offshore, são casados há 20 anos e têm duas filhas, Camila e Julia, de 10 e 15 anos.

Especialmente a mulher se cobra muito em ser mulher maravilha. Essa fantasia é real todos os dias e a gente ainda quer ter a cintura modelada da personagem (risos).

No caso de Cris, o superpoder é fazer caber todas as tarefas do dia em 24 horas.

“Acordo 5h, coloco café reforçado para as duas filhas, faço checklist das providências financeiras e logísticas do dia com o marido, vou malhar das 8h às 9h, subo no salto, trabalho, agito médicos e atividades extras das meninas na escola e fora dela, duas vezes na semana trabalho na empresa do marido em Niterói e três vezes na minha própria empresa perto de casa, e não deixo de passar meus cinco cremes no rosto antes de dormir e de colocar uma boa lingerie.”

Ufa! Uma verdadeira maratona!

O marido Marcelo se tornou um grande parceiro. Depois de uma crise no casamento que gerou uma breve separação, eles se casaram novamente em Las Vegas. E Cris passou a cuidar da área de marketing e comunicação interna da empresa dele, o que os tornou ainda mais unidos.

“Não levamos problemas de casa para o trabalho, e quando percebo que isso escapa ao controle e que ele confunde as funções marido e diretor de empresa, onde a mulher é o marketing, saio de cena. Mudo de ambiente.”

A empresa tem duas sedes: Niterói e São Gonçalo. Se a temperatura esquenta, Cris muda de lugar ou troca de sala até a poeira baixar.

“Fazemos terapia em casal e esse é um dos pontos em pauta. Temos conseguido manter o equilíbrio e aparamos as arestas e temos nossas ‘DRs’ no consultório da terapeuta: começa e termina ali.”

Para ela, é preciso se dar ao respeito para ter o respeito. “Fazemos essa troca diária, dentro e fora da empresa. Ele respeita o meu tempo e o meu modo de fazer e pensar, e eu respeito o dele.”

5 dicas para empreender com sucesso

Pedimos a Cris Moreira que listasse cinco dicas para quem quer ter sucesso empreendendo. Confira!

Faça uma auto análise
“No que você se acha bom, do que você gosta, qual personalidade se destaca em você, quais as forças que você identifica.”

Planeje qual mercado se encaixa com seu perfil
“Precisa ser pelo que te dá prazer, não só pelo que te dá dinheiro, não somos máquinas.”

Estude o mercado e não vá só pela emoção
“Encontre o equilíbrio entre satisfação e retorno financeiro. Não queira ganhar no primeiro ano e não queira investir no próprio negócio tudo que você ganhou na rescisão da empresa de que você saiu. Guarde uma reserva. Você vai precisar até seu ‘bebê’ nascer e aprender a andar.”

Muitas fases virão
“Estruturação, contratação de pessoas, captação de clientes, seu marketing pessoal e corporativo, novo posicionamento, erros e acertos, crescimento e quedas. Nunca estamos prontos para tudo e nem temos como nos cobrar isso, senão deprime. Então, equilíbrio emocional precisa ser o seu maior investimento. Você precisa estar bem com você para encarar todas as fases: altos e baixos. Se você não segurar a sua onda, ninguém pode nem tem essa obrigação.”

“Fazer diferente todos os dias”

Hoje, Cris tem orgulho de sua trajetória e se diz muito feliz sendo empreendedora.

“Durante mais de 20 anos, vivi em função de horários, plantões de fim de semana e feriados, e refém do humor de vários chefes diferentes, homens e mulheres, mais velhos e mais novos, uns que me ensinaram muito e outros que sabiam menos que eu. Enfim, um ambiente sempre inseguro e que não era meu.”

Para ela, ter a autonomia de planejar seu dia e quantas horas vai se dedicar não tem preço.

O preço maior é a angústia por resultados e pelo fato de saber que só depende de mim. Eu preciso fazer diferente todos os dias, buscar novos caminhos, pegar outro atalho, me reinventar quando não dá certo.

E ela completa: “Está tudo no meu crachá: dona. Mas ao mesmo tempo, está tudo no meu poder: eu controlo para onde vou, o meu humor, a ordem que vou seguir, o que preciso cumprir, onde quero chegar. Muito? Sim. Demais. Mas quando se quer, ninguém e nada seguram”.

One Comment
  1. Fala Mulher Maravilha!
    Feliz em conhecer sua história!💝

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *