Como transformar uma empresa em franquia

Muitos empresários na hora de expandirem suas empresas acabam transformando-as em franquias. É uma maneira mais fácil de fazer a instituição crescer. Já pensou em transformar sua empresa em franquia? Porém, para realizar essa transição é necessário ter alguns cuidados. Só assim os lucros previstos tanto pelo dono quanto pelo franqueado serão atingidos.

A ideia de transformar uma empresa em franquia de um determinado negócio ou marca surge quando a mesma passa a fazer sucesso. Essa é uma maneira viável e lucrativa de um empresário expandir a empresa sem investir com os próprios recursos. E dar oportunidades a novos empreendedores de entrarem no mercado.

O processo de transformar uma empresa em franquia é chamado de formatação de franquia. E como é feito todo o procedimento? Para realizar o processo é necessário passar por sete etapas, até que uma franquia possa ser aberta com o nome da empresa.

São elas:

Transformando uma empresa em franquia
franquia em empresa

1º) Autoanálise
É preciso analisar a situação atual da organização. Fazer um estudo para verificar se existe a possibilidade da marca tornar-se uma rede de franqueadoras. E são as micro e pequenas empresas que têm conquistado cada vez mais o mercado. As chamadas microfranquias. Mas, atenção, o negócio precisa ter um diferencial no mercado ou não será um sucesso.

2º) Planejamento
É nessa fase que a empresa deve se adequar ao modelo de franquia, seguindo quatro passos. 1) Tudo deverá ser pensado como franquia, desde a estrutura e o custo para o desempenho até a padronização da loja; 2) Desenhar o modelo de negócio do franqueador; 3) Elaboração do plano de negócios, uma forma de responder quanto deve ser investido e o prazo de retorno; 4) Desenvolver o plano de negócios do franqueador, incluindo a taxa de franquia e demais custos.

3º) Registro da marca
É nesse momento que o uso da marca é doado a terceiros sendo necessário um contrato, evitando a utilização do nome da empresa de forma indevida.
Confira e como registrar sua marca.

4º) Estrutura jurídica
Um dos tópicos mais importantes, já que é a comunicação entre os franqueados e franqueadores. É necessário estipular tempo de contrato e os direitos sobre a marca, entre outros.

5º) Planos de expansão
Momento de realizar um planejamento estratégico para expandir a instituição. É a hora de pensar nos riscos, para diminuí-los, e no que pode dar certo, para aumentar os lucros.

6º) Seleção de franqueados
Faça uma seleção para escolher os franqueados que se adequem ao perfil da organização. Analise se o candidato possui condições financeiras e tempo disponível para se dedicar ao negócio.

7º) Gestão e relacionamento
Ter uma boa relação com o franqueado é fundamental. Para isso, faça reuniões, consultoria de campo e até ações de marketing.

Existem três tipos de franquia

Na hora de escolher qual tipo de franquia, o novo empreendedor pode ficar confuso com tantas informações. Por isso o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) divide em três os tipos as franquias. Saiba quais são:

  • Franquia unitária: tem direito a abrir uma unidade, tendo exclusividade de atuar em um lugar que será determinado pelo franqueador. Porém, o novo empreendedor poderá obter outras franquias desse tipo, caso tenha condições financeiras e queira empreender mais.
  • Franquia master: utilizado para planos internacionais de franquias e para países com grandes dimensões territoriais. O contrato dá direito de terceirizar outras unidades em uma determinada região.
  • Franquia de desenvolvimento de área: direito de explorar uma certa região ou localidade, onde o franqueado irá abrir a sua unidade em um certo espaço de tempo. O contrato será feito para o desenvolvimento da área e para cada franquia for aberta.

O custo para abrir uma franquia
qual o custo de abrir uma franquia

Para se abrir um franchising, como também pode ser chamada uma franquia, é preciso investir em um modelo que seja formatado. Mas quando o franqueador começa a receber o que aplicou para que sua empresa se tornasse franquia? Logo após a venda das primeiras unidades, o empresário começa a ter um retorno do que foi gasto.

Os franqueados também irão pagar uma taxa de valor fixo, que deverá ser cobrado apenas uma vez. Esse valor consiste em todos os tipos de assistências para que a franquia seja aberta e treinamentos ao franqueado. Outros encargos também serão cobrados, todo mês, sendo alguns deles: propaganda, e royalties.

O primeiro é pago para bancar as despesas com as ações de marketing, porém isso não pode ser considerado como receita mas sim como antecipação das despesas. O dinheiro deve ser depositado em uma conta específica para esse meio, para que possa ser divulgada para toda a empresa de forma transparente.

Já o segundo, corresponde a um percentual que varia de cinco a 10% sobre o faturamento bruto da franquia, mas também pode ser um valor fixo mensal, em que ambas as partes deverão estar de acordo. Os Royalties ressarcem o franqueador pelo uso do sistema, direito de uso da marca e serviços prestados ao franqueado durante a vigência do contrato.

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *