Coaching como estilo de liderança é tendência no mundo corporativo, alerta especialista

Equipes de futebol são formadas por um grupo de pessoas que precisam ser coordenadas em seus esforços individuais para que os objetivos comuns sejam alcançados. Dentro dessa dinâmica, cabe ao técnico de futebol (ou “coach”, em inglês) coordenar, organizar e dirigir os atletas em prol de potencializar os resultados. Comum no universo esportivo, esse estilo de liderança vem sendo adotado no ambiente corporativo por meio da figura do “líder coach”.

Conforme explica a consultora associada do Grupo Valure, a coach, psicóloga, especialista em Gestão de Pessoas e Neurociências, Shana Wajntraub, o coaching não é um simples processo a ser realizado e aplicado em determinada circunstância: ele pode ser uma ótima estratégia de gerenciar, lidar com as pessoas em momentos de pressão e, principalmente, exercer uma gestão por meio do exemplo. Ou seja, um novo estilo em que o líder não apenas expande as habilidades e competências, mas também motiva, potencializa e enriquece o trabalho em equipe.

“Usar o coaching como estilo de liderança traz resultados para o negócio e ganhos de equipe, pois o líder consegue motivar, orientar e tirar o melhor de cada um. Neste sentido, ele deve investir no autoconhecimento, ajudar a identificar as crenças limitantes que impedem as mudanças do liderado, promover a cultura do feedback, realizar a liderança situacional e ajudar a construir a visão de futuro mais clara e objetiva”, pondera.

De acordo com Shana, tão importante quanto conhecer essas metodologias é abraçá-las de verdade. “Existem diversas ferramentas de coaching que podem ser usadas e que contribuem para a missão de desenvolver pessoas. Só que é preciso ter disciplina, pois isso é um processo de mudança que requer apoio do líder e encorajamento dos seus liderados. Em nossa prática, percebemos que o grande desafio do líder atualmente é entender que o seu papel é, de fato, desenvolver a sua equipe e investir tempo para tal – mesmo diante da correria do dia a dia no mundo corporativo”.

DESAFIOS – A coach explica que o ideal é que o líder consiga colocar essas técnicas em prática de forma automática, mesmo diante das pressões cotidianas. “A partir do momento em que ele conhece as ferramentas, já aplica – seja através de perguntas poderosas ou de um feedback estruturado. Assim, esse líder deixa de agir com seu estilo próprio e passa a agir de acordo com o que é necessário para a situação e para a maturidade das pessoas. É o que chamamos de liderança situacional”, destaca.

Shana complementa que um diferencial do líder coach é a personalização. “É como um personal trainer. Ao customizar o coaching, ele faz o liderado amadurecer e crescer como profissional – desafiando-o a pensar e trazer soluções. Com ferramentas de autoconhecimento, por exemplo, o líder consegue mapear o estilo e o perfil desse liderado. Também há a questão da inteligência emocional. Normalmente, as pessoas têm baixa percepção do perfil do outro”, ressalta.

No entanto, a coach alerta que as empresas precisam estar abertas para a adoção desse estilo de liderança. “O Brasil ainda falha em adotar essa cultura de desenvolvimento de pessoas. Existem muitos líderes que questionam se esse é o papel deles. E é necessário que diretores e o presidente ‘comprem’ essa nova cultura – que não se resume apenas às ferramentas que têm que ser aplicadas na rotina”. 

ATUALIZAÇÃO CONSTANTE – Em Mato Grosso, os profissionais podem contar com edições do programa FAL (Formação Avançada de Líderes) do Grupo Valure, que conta em sua grade com a facilitadora Shana Wajntraub. Uma nova edição está programada para o segundo semestre deste ano. “As pessoas adquirem conhecimento, praticam em sala de aula, mapeiam sua equipe e já saem com um plano de ação para colocar em prática”, ressalta Shana. 

Por meio de cinco módulos e sessões de coaching, o programa visa desenvolver novos líderes e potencializar os atuais – facilitando o processo de crescimento e a expansão dos negócios. Mais informações pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (65) 3318-2600.

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *