Christian Aranha: o futuro da Inteligência Artificial

Christian Aranha tem um extenso currículo na área de tecnologia. Ele é pesquisador, empreendedor e cientista-chefe da rede Entropia, incubadora de startups.

Conversamos com Christian no Hacking Rio, onde ele apresentou a palestra “Inteligência artificial em um mundo natural”.

Tecnologia ainda é um “dificuldade”

Segundo Christian Aranha, a tecnologia ainda é uma dificuldade para muitas empresas. Assim como é a educação.

“A tecnologia está junto à educação. Mas tem uma boa notícia. Você pode estudar em casa, não precisa mais ir para uma universidade aprender isso. Nós temos todas as tecnologias disponíveis aqui, é só querer. Não está longe disso.”

Para ele, Inteligência Artificial é um assunto cada vez mais importante.

“No futuro, não vai ter mais startup sem Inteligência Artificial. Isso está sendo a diretriz mais importante. No Rio de Janeiro, temos um polo que eu montei, a Entropia. Somos uma das referências mundiais em Inteligência Artificial, muito por causa da minha trajetória. Eu estudei isso a vida inteira.”

A Entropia funciona na Gávea, cidade do Rio de Janeiro. É uma rede de inovação e empreendedorismo. Oferece um centro de inovação tecnológica, uma desenvolvedora e incubadora de startups, e uma escola de empreendedorismo.

Christian ressalta que os cursos e a educação nessa área ainda são muito fracos. “Temos um caminho a percorrer. Falta capacitação em Inteligência Artificial, principalmente. Mas temos que lembrar que a educação está mudando. Hoje é muito mais a pessoa querer e buscar o conhecimento na internet do que tentar achar um curso específico.”

Empresas de tecnologia

Empreender na área de tecnologia ainda traz algumas dificuldades. Segundo Christian, embora a campeã das reclamações seja a burocracia, ele acha que isso é o de menos.

A dificuldade maior é você encontrar uma boa equipe e seguir em frente com essa equipe, atrás de um produto que você acredite.

De acordo com ele, a maior causa de fracasso entre as startups é o desentendimento entre os sócios. “Porque um quer um produto mais para lá, outro quer um produto mais para cá. E acaba não chegando em lugar nenhum. Infelizmente, não é a tecnologia.”

Ambiente de inovação

Para os empreendedores em tecnologia, o cientista indica “ter paciência e acreditar”.

“Porque tecnologia é chato. Programar é chato. Você gasta horas e horas para chegar em um lugar. Mas quem gosta consegue se divertir com isso e consegue seguir em frente.”

Um ponto muito importante para quem empreende nessa área, destaca Christian, é se manter sempre imerso em um ambiente inovador.

“Lá na Entropia valorizamos muito isso: o ambiente de inovação. Se você estiver próximo a outras pessoas que sabem e gostam também, a troca agiliza muito o processo de aprendizagem. Não tente estudar sozinho. Estudar sozinho é só para algumas pessoas que conseguem se automotivar. Estar em um ambiente em que as pessoas todas falam bem e trocam informação é a melhor coisa. Você se diverte e aprende ao mesmo tempo.”

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *